sábado, 14 de outubro de 2017

(Quase) 90 km


E no último dia de férias peguei em mim e fui até Alcoutim. 

Não entendo porque é que tinha tanto fascínio pela vila, talvez porque se situar junto ao rio, e pessoalmente gostar deste tipo de turismo? Prefiro vilas a metrópoles,  gosto de ver igrejas, castelos... Evitar o ruido e as multidões. E se tiver um rio incluído para molhar o pé, melhor ainda. 

Estava a adiar esta visita por ter medo de conduzir até tão longe, o máximo que fui foram pouco mais de 10km. E não só, estradas desconhecidas, o medo de me perder... E sabem que mais, perdi-me na mesma. Mas rapidamente retomei o percurso (não estava sozinha, tinha uma co-piloto que redirecionou o GPS). 

Estou estafada, mas valeu a pena a ansiedade e os suspiros assim que ultrapassei o meu recorde de km percorridos de seguida. Perdi-me de amores pela vila. 

O horror de ultrapassar os dez, cheguei quase aos noventa. 

domingo, 8 de outubro de 2017

Every year is getting shorter, never seem to find the Time;


  Escrever não tem sido a prioridade, e agora de férias gostaria mais uma vez de agir espontâneamente longe das tecnologias. Gostaria de me aventurar com o Jobi (o meu carro) e experimentar coisas novas, até porque os dias estão contados, e não queria perdê-los em casa. 

t-shirt e jeans: Mo(dalfa);
calçado: Vans Old Skool;
  Mas atinge-me o ter de o fazer sozinha. Eu sei que mais tarde virei a dizer que "o tempo a sós contigo mesma é o melhor que podes ter", mas de momento não é assim que me sinto. Certamente este sentimento provém de medo, pois assim que deixo de pensar e me aproximo da porta, volto para trás. Cancelo tudo e dou por mim em casa esperando a hora das minhas rotinas após o trabalho.

Mesmo sendo agradável, não quero estar só enterrada nos livros e a ver séries ou filmes, pois 60% das vezes acabo por me deixar dormir e irrita-me esse tempo perdido.



   Sem esquecer para onde vai a minha cabeça nesses momentos. Começo a pensar no futuro, a criar uma nuvem preta na minha cabeça, a comparar-me aos outros... Pinto-me de preto e branco num instante. Com isto não estou a dizer que tenho medo de sair de casa, tenho sim, medo de perder tempo. E é o que deixo acontecer no fim de contas. Não serve de nada chorar pelo leite derramado quando o sol está-se a pôr. 

Mas este conflito de querer fazê-lo sozinha e não querer, 
é a vida claramente a dizê-lo para fazer as coisas por minha conta.

"Loneliness is a sign you are in desperate need of yourself."





Até os próprios Pink Floyd chamaram-me à atenção:

"You are young and life is long and there is time to kill today
And then one day you find ten years have got behind you
No one told you when to run, you missed the starting gun"

sábado, 30 de setembro de 2017

Setembro 2017


Ai Setembro, Setembro... Eu pedi-te por tudo para seres um mês bom para mim. E deste-me uma desfeita. Vá, não me vou queixar muito só porque me lixaste o final, mas pronto...

***

Setembro deu-me férias no meu cantinho preferido. Vi o nascer do sol duas vezes, e mergulhei na esperança de que a neura que me tem acompanhado se afogasse. Fotografei, li mais de 500 páginas, e dormi debaixo das estrelas. Contrariei-me e regressei à rotina.

Com a chegada do Outono, chega um novo amigo - o Endo. Chegou também novo plano de treino, que pede nova(mente) forças para continuar. E por sugestão chegou também musicas novas para a alma. A respiração acelerou e a cabeça foi mais rápida que o coração. Mais uma vez a vida testa a minha paciência, e continua a ser pouca, muito pouca.

Não vou pedir mais vez nenhuma para que Outubro ou os meses seguintes sejam bonzinhos. 
Venha o que vier e terei de lidar com isso.

E vocês? Que tal de Setembro?

(Quase) 90 km

E no último dia de férias peguei em mim e fui até Alcoutim.  Não entendo porque é que tinha tanto fascínio pela vila, talvez po...

Popular Posts