domingo, 30 de julho de 2017

Julho 2017


Julho... Que estranho foste tu caramba!

Em Julho fui a um festival de Comida de Rua em Lagos, onde comi das comidas mais picantes que já experimentei. Foram os anos da melhor amiga, onde tivemos direito a musica jazz ao vivo. Adquiri leituras em estrangeiro, colocando na estante dois livros que queria muito. 

Deixei-me ir por uma neura confusa, no qual ainda não saí dela. Descartei algumas coisas que, de certa maneira, me caracterizavam. Adoptei uma atitude despreocupada, o que tem provocado em mim um "desligar de tudo", até de mim própria. Tem sido um misto de emoções, e já tive de tomar decisões que tenho a certeza que é o melhor a fazer - mesmo que me custe. Foi mês de hambúrgueres, de rir no jardim municipal, de encontrar as musicas do meu verão, de correr ao ar livre, de celebrar o aniversário da mãe, de jogar voleibol, e saltar da ponte da praia. 

Ah, e foi o mês onde dei a maior tesourada de sempre no meu cabelo. 

E vocês? Que tal de julho?

sexta-feira, 28 de julho de 2017

Whiplash


Sempre que vejo este filme dá-me um desgosto não ter ido ver ao cinema. 
Mas se calhar ainda bem porque haveria de estar a batucar nas cadeiras da frente e a bater o pé. 

O Whiplash é daqueles filmes que posso ver vezes sem conta e não me aborrece. Digamos que o vi ontem (?) e pensei, olha lá vou 'masé partilhar com os meus leitores esta sugestão. Descobri-o após os Oscares de 2015, porquê? Porque nunca fui daquelas pessoas que está sempre atenta aos filmes que serão lançados, e não costumo ir ao cinema muitas vezes. É verdade. Gosto de ver filmes, mas nunca estou a par do próximo e acabo sempre por os ver em casa. 

Este foi um deles. E caramba, adorei-o!

Andrew Neiman é estudante baterista de jazz, nisto é escolhido pelo instrutor Terence Fletcher do Conservatório Shaffer, para ser baterista suplente na sua banda. Mal sabe ele que Fletcher tem os métodos mais absurdos para trazer ao de cima o seu potencial, fazendo com que Andrew tente tudo para ser o melhor baterista da sua geração.

- Posso dizer que invejo um bocadinho o Andrew? Sim, o que me fez gostar tanto da personagem é a "drive" que tem para ultrapassar os colegas e obter o reconhecimento do instrutor. Tipo, "Ok, não gostaste então espera...", e pega-se nele e esforça-se.

Mas, até que ponto temos de mostrar (ou provar) que somos bons em algo? 


Não só recomendo o filme pela mensagem que transmite, como a banda sonora é muito boa. 
Vá e o Fletcher fez-me rir muito. Se gostam de ouvir jazz, então vão bater o pézinho de certeza.

domingo, 23 de julho de 2017

2/1/17


Deixei para trás (no blog anterior) uma carta que tinha escrito a mim mesma em Janeiro deste ano.
  Preciso dela aqui, porque o compromisso é ler outra vez no final do ano.


"- 2 Janeiro de 2017

Querida Alice,

Espero que faças de 2017 um ano do caraças também. É certo que não temos objectivos definidos para já (só tens algumas notas soltas), mas já sabemos que Janeiro é o nosso mês para reiniciar e pôr a cabeça em ordem… Mas quem sabe se não te dá um 'vipe a meio do ano e dás uma volta de 360º? Já sabes que o Verão também prega sempre das suas. 

O ano não começou como querias é verdade. Mas mais dia menos dia, e dás a volta por cima. Agora não temos a certeza, parece impossível (é normal), mas acredito que tudo correrá bem. 

Pega em ti e sai da terrinha se for preciso. E mesmo que não seja, falas tanto de ir ao Porto… Já foste a Lisboa sozinha mulher, mais umas horinhas no alfa e acabas no norte. Pega nas tuas amigas e leva-as também! Sozinha ou acompanhada das tuas pessoas, de certeza que vais gostar. 

Aceita de novo a espontaneidade! Viste o bem que te fez o ano passado. Procura ultrapassar o horror que tens à adrenalina. Preenche os dias de descanso, aprende algo novoFotografa mais ainda! Agarra na Saki e enche a tal grelha que tens na parede com fotografias, e álbuns também. Alinha em novos desafios fotográficos. Até porque gostámos muito do outro, e vê se adiantas o tal diário fotográfico que compraste.

Mata saudades sempre que as tenhas, ultrapassa essa timidez de uma vez por todas e enche de carinho as tuas pessoas. Esquece o medo e diz o quanto elas são importantes para ti. Mas espero também, que aprendas a fazer falta. Sai de cena quando for preciso. E caso seja, certifica-te que ao sair, fechas bem a porta. És capaz de passar um mau bocado, mas segue o teu instinto. 

Não te conformes. Se não estás feliz segue outro caminho. Não temos vindo a melhorar no nosso amor próprio, para num segundo, achares que merecemos menos. Não se pode agradar a toda a gente. E defende-te com unhas e dentes. Vê se aprendes a dizer não de uma vez por todas. 

Continua a amar de coração inteiro. Nunca foste de gostar pela metade, não é agora que vais retrair-te. Não tenhas vergonha disso. Claro que demonstrá-lo é difícil, mas sentimos com intensidade. Nesse aspecto nunca tivemos medo.

Continua a rir como tens rido sempre, e quem não gostar do teu humor, pois olha temos pena. Continua a rir das piadas secas, do vídeos virais que ninguém entende mas que tu morres de riso. Ri, sempre. 

Descobre ainda mais musica, e tenta ir pelo menos a dois concertos. Ouve música todos os dias, mesmo quando não queres – ouve a tua "jam" nos teus piores dias.

Agora é preciso é ter calma. Já sabes que tudo passa, e uma coisa de cada vez. 
Não sejas uma acelerada, que isso só faz é mal! 

E isto tudo que aqui está, lê novamente no final de 2017, sff. 

Beijinhos, 
Alice"

terça-feira, 18 de julho de 2017

Ler em inglês? Sim!


O facto de já ter batido o objectivo que tinha proposto para 2017 no que toca a leituras, já mereço palmas. Quem me conhece bem sabe que sempre fui muito preguiçosa no que toca a ler, por isso tenho vindo a combater essa teimosia há uns anos. 

Agora, decidi meter-me noutro desafio - ler em inglês. 

Eu estou à vontade com o inglês, e no trabalho falo quase todos os dias. Mas nas leituras, uma coisa são ler livros técnicos, e outra coisa são "novelas". Nos técnicos salto capítulos e vou ao que me interessa, já os outros é mais complicado manter a leitura seguida.

- E antes de avançar mais, tenho mandar um "Obrigada!" à (Outra) Mafalda, porque foi ela me inspirou a ler "english novels". Beijinhos Mafalda! Saudades! 

(Regressando ao post...) Ora, numa ida à Fnac passou-me pelas mãos muitos livros que a Mafalda sugeriu num dos seus videos, sendo um deles O Pintassilgo, mas a sua quantidade de páginas afugentou-me. Nisto peguei no The Hobbit, mas acabei por trazer comigo um que me saltou à vista, uma vez que é dos meus géneros preferidos (policial) o The Widow, de Fiona Barton. Mas isto porque não havia os livros que tinha na wishlist de aniversário. Esses sim se houvesse vinham comigo de certeza!

Acontece que depois de ter lido o livro "Aqueles que merecem morrer" de Peter Swanson, fiquei altamente curiosa para ler mais livros do autor. Por isso o livro "The Girl With a Clock for a Heart" foi de imediato para a wishlist. Com ele o autor Neil Gaiman, sendo o livro The Ocean at the End of the Lane. 

E como gostei imenso do serviço da Wook.pt, fui tentar a minha sorte e não é que havia os livros em inglês?! O do Neil Gaiman havia já traduzido, mas queria  ambos na língua original. 



Estou só a terminar o do Edgar Alan Poe e a seguir... Qual deles escolher? 

sábado, 15 de julho de 2017

Fora de Mim


Agora olho para trás e penso, "Desliguei mesmo? Claro que não!". Farto-me de dizer que vou hibernar, desligar, e todas as palavras possíveis para descrever o que na verdade é "tentar parar" para arrumar a cabeça. 

Mas acho que agora, quando menos esperava, desliguei... De mim. 

Quando nas outras vezes era pôr o mundo em "mute", agora sou eu em silêncio. Simplesmente descartei tudo, planos, coisas que queria melhorar em mim, detalhes que - quem me conhece diria "isto é tão tu". E a coisa começou com o corte de cabelo. Espera, o cortar o cabelo faço a qualquer momento, mas o que me refiro é - quero lá saber que a franja está esquisita? Já não lhe mexo com o alisador, coisa que fazia todos os dias.

A seguir, guardei todos os batons (e restantes maquilhagens), e só tenho no meu toucador um creme hidratante. Aquela coisa de "quero um guarda roupa minimalista" ficou em stand-by também. Ando a baldar-me ao ginásio... Epá, parou tudo. A Alice parou.  Mas não estou deprimida, nada disso. Tudo bem que tenho os meus dias, só não sei explicar que neura é esta. 

Estou digamos, "despreocupada"? 

Não sei se esta "fase" é uma daquelas surpresas que o verão costuma me trazer. Aqueles pontos de viragem, que em breve vai surgir alguma coisa... Mas espero que sim. O que é que vou aprender com isto? 

Não tenho outro remédio senão, sentar-me e respirar porque tudo passa.


sexta-feira, 14 de julho de 2017

'Prayin


Todos os Verões encontro uma "jam".
E encontrei a do Verão de 2017.

Estou arrepiada até ao tutano.

domingo, 9 de julho de 2017

Tacos picantes e ventania.


Este sábado fui ao InLagos Street Food Fest
Nunca tinha ido a uma coisa do género, por isso estava curiosa em experimentar.

Um calor agradável durante a viagem e assim que chegamos... Pimba! A Praça do Infante coberta de nuvens cinzentas e com um vento desagradável. Mas isso não me impediu de rir e desfrutar o resto da noite. 

Havia de tudo um pouco, cachorros quentes, hambúrgueres (artesanais), bolo do caco com bifana e outros recheios, tostas, etc... Mas a minha ideia era experimentar algo diferente, e encontrei. Encontrei tacos. (Mas mal sabia eu que ia ter uns calores...) Pedi o taco de frango: recheado com frango aos cubos, molho chili, rúcula, molho de iogurte, especiarias, e amêndoas por cima. Na verdade, como sou uma nave fiz o pedido errado. Porque o que queria mesmo eram os nachos. Vi um rapaz passar com um prato com tão bom aspecto, e convencida que aquilo se chamava tacos... Enfim, comi na mesma. E a acompanhar um sumo de melancia com gengibre.

Havia também a opção vegetariana, com puré de grão, e lá está... Os tais nachos. *facepalm*


Cada um foi buscar o seu jantar, e no chão se comeu. *risos* As mesas estavam ocupadas, não tivemos outro remédio. E até  teve mais piada assim, porque muitas mais pessoas estavam na mesma situação. Bom, à primeira dentada "eh lá isto é bom", à segunda "é impressão minha ou isto tem picante?", à terceira "estou a queimar por dentro!"... Deixei o taco a um pouco menos de meio, porque para mim estava picante até dizer chega. Ok, eu raramente ponho picante na comida, por isso a mais pequena dose e fico logo com suores. 

Depois para compensar a meia refeição, comi churros com Nutella de uma outra carrinha, e uma fatia de bolo de ananás. (Sou só assim um bocadinho 'garganeira.)

Tirando o tempo, gostei muito de lá ir. Fiquei até com mais vontade de experimentar festivais do género, e comer novas variedades de comida. O ambiente era agradável e sempre deu para dar uma volta pela zona antiga de Lagos e rir um bom bocado. 

E vocês? Já experimentaram "street food"?

quinta-feira, 6 de julho de 2017

Vou de férias, e o meu amigo de 4 patas?


Planeamos tudo, onde ficar, o que comer, o que levar... Compramos os bilhetes... Mas espera, eu tenho um animal de estimação! E agora? Onde é que vai ficar?! Quem vai tomar conta dele?! E por estas questões que fazemos, seja em cima da hora ou não, decidi escrever esta publicação de maneira a ajudar quem vai de férias em breve, baseado na minha experiência. (Podem sempre partilhar esta informação com as vossas pessoas.)

Para onde vou de férias? 
Se vais de férias, seja para o Sul, para o Norte de Portugal, ou até mesmo para o estrangeiro, procura todas a opções. Isto porque se houver a hipótese de haver um lugar mais perto de onde vais ficar, sempre poderás socorrer o teu melhor amigo em caso de emergência. Se vais para o estrangeiro, deixa o contacto de alguém da tua confiança para que possa tratar de algo na tua ausência.

Encontrei varias hipóteses, qual escolher?
Visita os locais se tiveres oportunidade. É importante visitar o local que pretendes antes de efectuar a reserva, assim podes ver os serviços que te oferecem e saber como funciona. Caso não consigas, tenta esclarecer todas as questões por telefone ou email.


- Mas antes de reservares a estadia, há uma coisa muito importante a ter em conta! A VACINAÇÃO. No caso dos cães, para além das vacinas obrigatórias, em muitos locais de alojamento pedem a vacina especifica para a Tosse do Canil.

E o que é isso?

A Tosse do Canil é um vírus cujo o sintoma é uma "tosse" constante até que o cão acaba cuspindo saliva, como se fosse vomitar. Eu conheço isto porque a Lua apanhou a "tosse" há uns anos atrás, numa das suas idas à rua, e lembro-me perfeitamente da chatice que é. Se para nós é horrível tossir sem parar, imaginem o nosso animal estar nesse desconforto. No caso dos gatos, não há tosse do canil mas procurem vaciná-los contra a Leucemia Felina.




Boas férias!

terça-feira, 4 de julho de 2017

Bucket Lists.


Sempre escrevi por alto pequenos desejos. Mas nunca levei a sério esta coisa das bucket lists. E ainda hoje isso acontece. Faz diferença quando se diz "gostava", de "eu quero". Ao menos, agora sei porque é que não levava as minhas listas a sério, e poucos eram os objectivos que riscava - lá está, sou da equipa dos "eu gostava". E depois do verbo a usar, vem também a importância. Olhando para trás, queria muita coisa... Fútil. Basicamente riscava o mais fácil.

O meu mal foi interpretar as bucket lists como uma "lista de compras"
e não como uma lista de experiências.

E do que cheguei a riscar, se tivesse que escrever as mesmas listas agora, iria incluir essas coisas? Não, porque na grande maioria eram coisas materiais. Coisas que "afinal não fazem assim tanta falta". Mas também não serve de nada arrepender-me, já está. O que eu quero dizer é que pretendo, apesar de já ir a meio do ano, pensar na lista que fiz para 2017 - e se possível criar uma à parte relativamente ao verão. Quero experiências, memórias.

Se tiver que acrescentar alguma coisa, tudo bem. Se tiver que cortar, tudo bem também.

(Quase) 90 km

E no último dia de férias peguei em mim e fui até Alcoutim.  Não entendo porque é que tinha tanto fascínio pela vila, talvez po...

Popular Posts