sexta-feira, 28 de julho de 2017

Whiplash


Sempre que vejo este filme dá-me um desgosto não ter ido ver ao cinema. 
Mas se calhar ainda bem porque haveria de estar a batucar nas cadeiras da frente e a bater o pé. 

O Whiplash é daqueles filmes que posso ver vezes sem conta e não me aborrece. Digamos que o vi ontem (?) e pensei, olha lá vou 'masé partilhar com os meus leitores esta sugestão. Descobri-o após os Oscares de 2015, porquê? Porque nunca fui daquelas pessoas que está sempre atenta aos filmes que serão lançados, e não costumo ir ao cinema muitas vezes. É verdade. Gosto de ver filmes, mas nunca estou a par do próximo e acabo sempre por os ver em casa. 

Este foi um deles. E caramba, adorei-o!

Andrew Neiman é estudante baterista de jazz, nisto é escolhido pelo instrutor Terence Fletcher do Conservatório Shaffer, para ser baterista suplente na sua banda. Mal sabe ele que Fletcher tem os métodos mais absurdos para trazer ao de cima o seu potencial, fazendo com que Andrew tente tudo para ser o melhor baterista da sua geração.

- Posso dizer que invejo um bocadinho o Andrew? Sim, o que me fez gostar tanto da personagem é a "drive" que tem para ultrapassar os colegas e obter o reconhecimento do instrutor. Tipo, "Ok, não gostaste então espera...", e pega-se nele e esforça-se.

Mas, até que ponto temos de mostrar (ou provar) que somos bons em algo? 


Não só recomendo o filme pela mensagem que transmite, como a banda sonora é muito boa. 
Vá e o Fletcher fez-me rir muito. Se gostam de ouvir jazz, então vão bater o pézinho de certeza.

2 comentários:

  1. Obrigada pela partilha! Tem jazz = Eu estou lá!

    http://pt.witkonijn.net/

    ResponderEliminar
  2. Oh... o Whiplash! Não imaginas como adoro este filme, Alice! Por mil razões, e agora fiquei com imensa vontade de o rever e vai ser já no fim de semana! Vi-o primeiro por sugestão do meu namorado, que na altura ainda nem era namorado, e por ter sido um dos temas de conversa que nos aproximou ganhou um significado especial. Mas à parte disso acho que tem um excelente argumento, realização, casting, filmografia, de uma ponta à outra!
    Talvez pelo facto de também ter estudado música e violino tocou-me mesmo muito, e identifiquei-me com a personagem principal em alguns aspectos, como alguma quase obsessão em progredir no instrumento e a frustração em não ser boa como queria, embora no filme isso seja amplificado x 1000! :)

    Já cá tinha vindo espreitar o teu blog nos últimos tempos, pouco depois do rebranding que fizeste, mas ando uma desnaturada a comentar e meio que a ler tudo a correr. Tenho gostado muito do que tenho visto por aqui! Acho que algumas coisas que tens escrito, das mais introspectivas me fizeram também reflectir nesses assuntos e ando com vontade em talvez falar mais nesse tipo de registo no meu blog! :)


    Um beijinho,

    Sofia | Monochromatic Wave

    ResponderEliminar

(Quase) 90 km

E no último dia de férias peguei em mim e fui até Alcoutim.  Não entendo porque é que tinha tanto fascínio pela vila, talvez po...

Popular Posts